Empregos cada vez mais difíceis


emprego


Como estudante de Administração, não posso deixar de ressaltar o fato de que a tendência mundial é da redução dos empregos, tendência que a cada dia torna-se mais concreta, onde há plena substituição do elemento humano, por máquinas, tendo seus primórdios na revolução industrial.

Não há estabilidade no emprego e empregos vitalícios. Atualmente o que conta é a capacidade de processar a informação e saber o que fazer com ela, já que ela vem a todo o momento e das mais variadas fontes devido a globalização.

As empresas reduzem suas estruturas demasiadamente crescidas. Entre as táticas usadas visando a redução do quadro de funcionários, estão a aposentadoria antecipada, transferência de pessoal para eliminar níveis hierárquicos, demissões voluntárias, etc. Por exemplo, uma das maiores empresas do mundo, a Nike, fabricante mundial de tênis, possui nos EUA um escritório com 500 pessoas encarregados do design e do marketing de seus produtos. A produção é comandada via computador para várias empresas no Sudeste Asiático onde 15 mil pessoas se encarregam da fabricação do produto.

O profissional atual precisa entender de informática, saber utilizar a Internet, falar pelo menos mais dois idiomas, de preferência o Inglês e Espanhol, ter conhecimentos multidisciplinares, estar constantemente informado, ser criativo, flexível, conseguir se relacionar em todos os níveis, ser empreendedor, entre outras qualidades, por isso, muitos não conseguem emprego, por falta de qualificação e conhecimento das novas tecnologias, visto que, cada vez mais se aumenta as exigências de qualificação e diminui-se o número de empregos.



3 comentário (s)

Arthurius Maxmus disse...

Empregos na realidade existem aos montes. O grande problema é que a maioria dos trabalhadores brasileiros não são qualificados para ocupá-los. Aumenta a cada dia os casos de contratações no exterior. O ensino técnico foi errôneamente abandonado pelos governos e deu no que deu.

MoorpheuSs disse...

Aos montes ainda existem sim, mas não como há um tempo atrás.

Com certeza a falta de qualificação é um grande empecilho, mas cada vez mais as máquinas substituem o homem em diversas tarefas, principalmente as operacionais e a quantidade de empregos decresce diariamente, afinal uma máquina, não reclama, não tem absenteísmo, não recebe hora extra, daqui a pouco até irá raciocinar ;-D

A valorização cresce para os profissionais que trabalham com informações, que possuem o "conhecimento", o chamado capital intelectual.

Contratação externa é mais direcionada a grandes empresas e para os níveis de alto escalão, mas os brasileiros são muito valorizados no exterior, sendo chamados para ocupar postos de CEO de grandes multinacionais por terem grande capacidade de saber lidar com o mercado.

Arthurius Maxmus disse...

Empregos na realidade existem aos montes. O grande problema é que a maioria dos trabalhadores brasileiros não são qualificados para ocupá-los. Aumenta a cada dia os casos de contratações no exterior. O ensino técnico foi errôneamente abandonado pelos governos e deu no que deu.

Postar um comentário

Os comentários expressam a opinião dos visitantes e não do AUTOR deste blog. No momento os comentários são moderados, já que ultimamente temos recebido muitas inutilidades.

O autor não se responsabiliza por qualquer conseqüência e/ou dano que algum comentário venha a provocar a terceiros.

Comentários inadequados serão REMOVIDOS, incluindo ofensas pessoais, racismo, pregações religiosas, textos totalmente em letras MAIÚSCULAS, palavrões desnecessários ou miguxês, etc.

Obrigado e volte sempre.