Um pouco de nostalgia tecnológica

Olhando para o passado, pode-se perceber o quanto a tecnologia evoluiu e evolui.

A tendência do mundo moderno é a miniaturização das coisas, ou seja, cada vez mais os produtos tem menor tamanho e apesar disso, conseguem ter mais recursos agregados, facilitando sua usabilidade.

Há algumas décadas os computadores eram imensos, há alguns anos disquetes e fitas cassete eram comuns e num passado não muito distante, nós divertiamos jogando o Mario no Nintendinho (Nes).


1) Computadores monstruosos

Antigamente ninguém imaginaria que os computadores caberiam na palma da mão. Sim, os computadores ocupavam uma sala inteira, possuíam milhares de válvulas, pesavam dezenas de toneladas e seus recursos eram extremamente limitados, ou seja, possuíam baixa capacidade de processamento e nenhuma interação gráfica com o usuário.


2) Fitas cassete

O cassete ou compact cassete é um padrão de fita para gravação de áudio lançado oficialmente em 1963, invenção da empresa holandesa Philips (Wikipédia).

Ninguém ainda sonhava com os Cd´s e com áudio em alta qualidade ou mp3 players portáteis. As fitas cassete reinavam soberanas, eram guardadas aos montes, oferecendo baixo custo, facilidade de uso, ocupando pouco espaço, porém detinham o problema da baixa qualidade no áudio.


3) Disquetes

O disquete é um disco removível de armazenamento fixo de dados, inventado em 1971. O termo equivalente em inglês é floppy-disk, significando disco flexível.(Wikipédia)

Os disquetes foram o primeiro meio de armazenamentos para os microcomputadores.

Estão caindo em desuso, sendo atualmente pouco utilizados, devido a baixa capacidade de armazenamento 1,44 mb (3½") para os tempos atuais (antigamente dava para o gasto, pois os arquivos mais frequentes eram pequenos), frequentes perdas de dados e vida útil curta.

Atualmente os pen drives dominam o mercado de armazenamento externo, fazendo parte da vida da maioria dos usuários que precisam acesso/troca de arquivos de maneira rápida e eficiente. A "morte" dos disquetes já é certa.


4) Impressoras arcaicas

Lembro deste tipo de impressora, dos tempos do período fundamental da escola.

As características destas impressoras eram impressões lentas e de baixa qualidade, voltadas basicamente para texto. Impressões gráficas?? Sem comentários...

A parte boa era poder rasgar as laterais das folhas ;-D que serviam para ajudar na condução da impressão.


5) Nintendinho (NES)

Quem nunca jogou o famoso Mario Bros?? Um dos aparelhos com os games mais divertidos já lançados, no tempo em que um processador de 8 bits e gráficos 1D (hehe) eram o suficiente para nos divertir!

Nintendo Entertainment System, ou simplesmente NES (vulgo Nintendinho), foi um videogame lançado pela Nintendo na América do Norte, Europa, Asia, Austrália e Brasil. Originalmente lançado no Japão em 1983 com o nome de Nintendo Family Computer, ou apenas Famicom, o sistema foi redesenhado e recebeu o novo nome para ser lançado no mercado americano em 1985. (Wikipédia)

Hoje os gamers (a maioria) exigem no mínimo um som de alta qualidade com efeitos sonoros "reais" e gráficos 3D.

Mas apesar de toda a evolução (ou talvez em função dela), os joguinhos antigos eram (e são) muito mais divertidos, porque tinham uma essência singular, não se limitando, por exemplo, a matar terroristas....



Inpiração:
Best of The Web




Que tal ler um pouco sobre celulares no Gadiguetes?

5 comentário (s)

Lucho disse...

Atualmente qualquer calculadora tem um poder de processamento muto maior que esses computadores monstruosos.

Em relação aos disquetes, depois que eu comprei um DVD-RW e ganhei um pendrive, eu nem sei mais o que é disquete. Inclusive tenho um computador antigo que está coma unidade de disquete defeituosa, mas que não faz diferença, já que tem portas USB.

Agora o NES é coisa recente. Antigo (e nostálgico) era jogar Pitfall! e River Raid num Atari 2600. Com seus incríveis 128 bytes de RAM e processador de 1,19 MHz.

MoorpheuSs disse...

RE: Lucho

Com o avanço tecnológico, muitas coisas úteis em um dado período, servirão apenas para serem guardados no museu...

Resolvi falar do NES, porque falar do Atari era muito óbvio! Lembro do Pitfall e era bem divertido.

Como já li por aí, o importante era a lógica do jogo. Como o tamanho dos jogos eram infímos, cada byte era de vital importância para o resultado final.

Obrigado pela visita.

Abraços.

Jefferson disse...

Extrema nostalgia...

Mas o que me lembra mais eram aqueles disquetes que tinham um furo no meio para ficar rodando ele no dedo...hehehe

Impressoras matriciais ainda se encontra em empresas, principalmente para impressão de ordens de serviço...hehehe

Impressionante o tempo que foram estas mudanças, pois falamos em nostalgia de uma decada.

MoorpheuSs disse...

RE: Jefferson

Hehe...os disquetes pelos menos proporcionavam alguma diversão quando já estavam inutilizados ;-/

A tecnologia evolui o equivalente a décadas em poucos anos, tudo passa a ser obsoleto rapidamente, fruto não apenas da evolução tecnológica, mas do próprio capitalismo consumista.

Abraços.

Lucho disse...

Atualmente qualquer calculadora tem um poder de processamento muto maior que esses computadores monstruosos.

Em relação aos disquetes, depois que eu comprei um DVD-RW e ganhei um pendrive, eu nem sei mais o que é disquete. Inclusive tenho um computador antigo que está coma unidade de disquete defeituosa, mas que não faz diferença, já que tem portas USB.

Agora o NES é coisa recente. Antigo (e nostálgico) era jogar Pitfall! e River Raid num Atari 2600. Com seus incríveis 128 bytes de RAM e processador de 1,19 MHz.

Postar um comentário

Os comentários expressam a opinião dos visitantes e não do AUTOR deste blog. No momento os comentários são moderados, já que ultimamente temos recebido muitas inutilidades.

O autor não se responsabiliza por qualquer conseqüência e/ou dano que algum comentário venha a provocar a terceiros.

Comentários inadequados serão REMOVIDOS, incluindo ofensas pessoais, racismo, pregações religiosas, textos totalmente em letras MAIÚSCULAS, palavrões desnecessários ou miguxês, etc.

Obrigado e volte sempre.