Sete milhões baixam conteúdo ilegal no Reino Unido


Sete milhões baixam conteúdo ilegal no Reino Unido

As conexões banda larga permitem baixar 200 MP3s em apenas cinco minutos

Por volta de sete milhões de pessoas no Reino Unido estão envolvidos em downloads ilegais. Os pesquisadores estimam que 1.3 milhões de pessoas usam a rede de arquivo compartilhado (P2P) em um dia de semana e calcularam que durante um ano eles têm acesso livre a um conteúdo que vale £12 bilhões.

O governo diz que deve ser feito um trabalho para tentar resolver o problema internacionalmente.

O ministro da Propriedade intelectual, David Lammy, disse que o relatório demonstra o impacto dos downloads ilegais, tanto nas indústrias que detém os direitos autorais, como na economia de Reino Unido.

"Este não é um assunto limitado por limites nacionais e eu estou seguro que outros estados membros e suas indústrias detentoras de direitos autorais acharão este relatório útil no desenvolvimento de políticas."

Muitas pessoas fazem downloads de conteúdo protegido e nem percebem que o que eles estão fazendo é ilegal.

Uma aliança de nove representantes de Reino Unido das indústrias criativas recentemente uniram-se em resposta ao chamado do governo para forçar os provedores de internet a cortar os downloads de arquivos ilegais compartilhados.

Eles disseram que mais da metade do tráfego da internet no Reino Unido era relacionado a conteúdo ilegal.

O Grupo de Propriedade Aberta (Open Rights Group) - um grupo do Reino Unido que trabalha em direitos digitais e liberdades - disse que o estudo ilustrou o tamanho do mercado.

Segundo o diretor dos grupos, Jim Killock, é necessário combater o compartilhamento de arquivos ilícitos, mas é necessário lembrar que medidas extremas provavelmente seriam muito injustas e deixariam as pessoas com raiva.


Confusão dos direitos autorais

Os provedores de internet dizem que não é o trabalho deles policiar a internet.

O mais recente relatório da SABIP, disse que a nova geração de conexões banda larga à 50 Mbps poderia entregar 200 arquivos MP3 em cinco minutos, um DVD em três e os trabalhos digitalizados completos de Charles Dickens em menos de 10.

Também disse que os sete milhões de pessoas que têm acesso a arquivos ilegalmente podem não ser todos estudantes e que muitos deles eram incertos sobre o que era ilegal.

O fato que muita coisa na internet é livre, somente aumenta a confusão.

Lynne Brindley integrante da SABIP, disse: "Este relatório nos dá algum base que comprova que nós podemos desenvolver uma estratégia de pesquisa clara para apoiar o desenvolvimento de política nesta área de mudanças rápidas ."



Fonte: BBC News



1 coment�rio

Sandro Souza disse...

Olá,

Muito interessante este post. Acredito que as P2P trazem muitos problemas para gravadoras. Na semana que se passou, vimos que a RIAA multou uma mãe de família em 80mil dólares por ter baixado 24 músicas. No meu blog, abordo por diversas vezes que a industria do entretenimento não sabe lidar com novas tecnologias. Mas, por outro lado, uma outra pesquisa informa que, quem usa muito P2P, é quem mais gasta dinheiro com downloads legais!
Maiores informações http://ssouza.blogspot.com

Postar um comentário

Os comentários expressam a opinião dos visitantes e não do AUTOR deste blog. No momento os comentários são moderados, já que ultimamente temos recebido muitas inutilidades.

O autor não se responsabiliza por qualquer conseqüência e/ou dano que algum comentário venha a provocar a terceiros.

Comentários inadequados serão REMOVIDOS, incluindo ofensas pessoais, racismo, pregações religiosas, textos totalmente em letras MAIÚSCULAS, palavrões desnecessários ou miguxês, etc.

Obrigado e volte sempre.