Brasileiros compraram mais notebooks do que desktops em 2010

laptop-sales-overtake-desktops-which-is-better

A venda de notebooks no Brasil venceu a venda de desktops. As pessoas estão preferindo notebooks, pois podem ser usados em casa ou em qualquer outro lugar. Veja a reportagem completa:

notebook
"O segmento de informática foi o que apresentou maior faturamento da indústria elétrica e eletrônica em 2010, informou nesta quinta-feira (9) a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee). O segmento deve fechar este ano com faturamento de R$ 39,9 bilhões, alta de 13% em relação a 2009. O desempenho será puxado pelas vendas de notebooks, que aumentarão 39%, para 7,15 milhões em 2010. Já o segmento de desktops vai manter as vendas em 6,8 milhões.

De acordo com a associação, é a primeira vez que as vendas de notebooks superam as de desktops. No total, o segmento de informática comercializará 14 milhões de computadores, um crescimento de 17% em relação a 2009. Neste ano, a participação do chamado mercado cinza vai se manter em 30%.

O único dos oito segmentos do setor que registrará queda no faturamento é o de telecomunicações - R$ 16,7 bilhões, queda de 9%. No total, a indústria produzirá 61 milhões de telefones celulares, dos quais 47 milhões destinados ao mercado interno e 14 milhões à exportação. Uma das razões para a queda na produção foi a expansão das vendas no País dos smartphones, em sua maioria importados.

Os demais segmentos registram crescimento de faturamento neste ano. O segmento de equipamentos industriais vai faturar R$ 18,3 bilhões, crescimento 22%; o de utilidades domésticas, R$ 15,5 bilhões (16%); o de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, R$ 12,1 bilhões (14%); o de componentes, R$ 9,3 bilhões (13%); o de material de instalação, R$ 8,9 bilhões (12%); e o de automação industrial, R$ 3,1 bilhões (7%).

Para 2011, a Abinee prevê que o setor deverá faturar 13% a mais que em 2010, chegando a R$ 140,5 bilhões. O segmento de informática deve liderar o faturamento, com R$ 45,5 bilhões, alta de 14%. O segmento de equipamentos industriais deve faturar R$ 21 bilhões, alta de 15%; o de telecomunicações, R$ 18,5 bilhões, alta de 11%; o de utilidades domésticas, R$ 17 bilhões, alta de 9%; o de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, R$ 14,4 bilhões, alta de 19%; o de material de instalação, R$ 10,2 bilhões, alta de 15%; o de componentes, R$ 10,1 bilhões, alta de 8%; e o de automação industrial, R$ 3,5 bilhões, alta de 11%. "

Fonte: G1

2 comentário (s)

Thiago disse...

Tem sentido. Barateou muito e hoje encontramos notebooks com poder de processamento tão bons quanto desktops.

Renan Gonçalves disse...

Barateou bastante, quase o mesmo preço. Eu mesmo preferi comprar um notebook legal com um aplaca de vídeo onboard boa (roda jogos bons) do que comprar um desktop e ficar preso entre quatro paredes.

Postar um comentário

Os comentários expressam a opinião dos visitantes e não do AUTOR deste blog. No momento os comentários são moderados, já que ultimamente temos recebido muitas inutilidades.

O autor não se responsabiliza por qualquer conseqüência e/ou dano que algum comentário venha a provocar a terceiros.

Comentários inadequados serão REMOVIDOS, incluindo ofensas pessoais, racismo, pregações religiosas, textos totalmente em letras MAIÚSCULAS, palavrões desnecessários ou miguxês, etc.

Obrigado e volte sempre.